Elisabete Jacinto concluiu segunda etapa em sexto entre os camioesA piloto portuguesa Elisabete Jacinto terminou hoje a segunda etapa do Libya Rally 2016 no sexto posto entre os camiões depois de o seu MAN TGS de competição ter ficado preso na lama a meio da travessia de um oued. A equipa OLEOBAN® cumpriu os 571 quilómetros cronometrados, cumpridos entre Tan-Tan e Icht, em 8h04m10s e registou o 12º lugar da classificação conjunta auto/ camião. O vencedor da etapa de hoje foi o trio liderado pelo belga Christophe Stroo que segue aos comandos de um camião GINAF.

etapa do Libya Rally 2016Depois de uma primeira etapa bastante atribulada, devido a um problema de programação dos pontos de GPS, o segundo dia do Libya Rally 2016 decorreu sem percalços. Elisabete Jacinto revelou, no entanto, que não foi uma jornada fácil: “a especial de hoje foi bastante bonita, mas muito grande e lenta. Os primeiros 25 quilómetros foram feitos num oued onde tivemos que circular a uma velocidade entre os 5 e os 10km/h e demoramos imenso tempo só naquele troço. Pouco depois atravessamos um novo oued que estava cheio de lama, porque choveu recentemente nesta zona, onde acabámos por ficar presos. Os primeiros camiões passaram bem, mas quando nós chegámos o piso já tinha cedido muito e estava em muito mau estado. Perdemos ali cerca de 45 minutos porque tivemos que esperar que os camiões de trás nos apanhassem para nos poderem puxar e ajudar a sair da lama. Mais à frente tivemos um furo e, mais uma vez, perdemos tempo a mudar o pneu. Para além destes contratempos não houve nada a assinalar e conseguimos andar sempre num bom ritmo”, afirmou a piloto portuguesa na chegada ao acampamento em Icht.

Cumpre-se amanhã a terceira etapa do Libya Rally 2016 que se disputará entre Icht e Mahmid, no interior de Marrocos. Nesta especial composta por 409 quilómetros cronometrados, a organização vai presentear os concorrentes com um percurso realizado numa das mais antigas pistas do Paris-Dakar. No mesmo dia os participantes deste Libya Rally terão a dura tarefa de passar o Lago Iriki e o Erg Chegaga cujas dunas de areia fina e mole tendem a ser bastante difíceis de ultrapassar. Neste tipo de piso, os pilotos e navegadores têm que demonstrar possuir grande destreza e concentração para poderem transpor com sucesso todos os obstáculos.

Press Equipa OLEOBAN®

NR: Nesta publicação de Motorsport Behringer no facebook, podemos ver bem as dificuldades pelas quais a piloto Portuguesa e os seus adversários passaram

 

HTTP://pecasAUTO24.pt

www.AUTOpecas-ONLINE.pt

ZONA ESPETACULO

VIDEOS DE TODO O TERRENO