Ralis Internacional

DS3 WRC EM DOSE DUPLA

Categoria: Ralis Internacional
Publicado em 21 outubro 2014
Presente no calendário do Campeonato do Mundo desde 1991, o Rali de Espanha assistiu a vitórias de todas as criações da Citroën Racing: em 1999, a Marca garantiu a sua primeira vitória de sempre no WRC com o Xsara Kit- Car de Philippe Bugalski e Jean-Paul Chiaroni, para a partir de 2005, Sébastien Loeb e Daniel Elena darem início a uma série de oito vitórias consecutivas com o Xsara WRC (em 2005 e 2006), o C4 WRC (de 2007 a 2010) e o DS3 WRC (em 2011 e 2012). 
UMA VIATURA, DOIS SET-UPS 
Desde 2010 que o Rali de Espanha é um evento de características singulares no WRC, sendo a única prova mista da temporada, permitindo aos pilotos andar em terra e asfalto com a mesma viatura.

«É um desafio especial,»

reforça Yves Matton, Director da Citroën Racing.

«A principal dificuldade reside na transformação dos nossos DS3 WRC no final do primeiro dia de prova. Este rali impõe uma preparação específica e uma logística mais importante. Cada piloto deve ser, também, capaz de se adaptar à mudança de superfície. Trabalhamos nas peças a mudar e nas configurações, mas cabe às equipas grande parte dos esforços de adaptação.Durante a assistência nocturna de 6ª Feira, oito engenheiros trabalham a fundo durante 75 minutos. No seu todo, apenas mantemos a carroçaria e o motor»,

resume Didier Clément, Responsável pelos DS3 WRC. «Há que preparar uma rigorosa divisão de tarefas, em que todos devem saber o que fazer. Poucos dias antes da prova, as nossas equipas são treinadas para passar de uma configuração para a outra.» 
 Outra especificidade do evento catalão é o facto de uma parcela significativa deste primeiro dia em terra se disputar em pisos de asfalto. Uma particularidade da secção central da especial Terra Alta: «Tradicionalmente, registam-se grandes diferenças nessa secção, já que os carros não se comportam do mesmo modo no asfalto, sendo menos reactivos. Cabe, portanto, ao piloto encontrar o seu ritmo para não exigir em demasia dos seus pneus e manter a máxima aderência.» 
 
KRIS MEEKE EM PLENA PROGRESSÃO 

«Sinto-me cada vez mais forte,» resume Kris Meeke aquando da partilha dos que tem sentido ao longo desta segunda metade da temporada 2014. Subindo ao pódio em Monte-Carlo, em Janeiro passado, o britânico aproveitou cada evento do WRC para melhorar os seus conhecimentos, sendo que desde o final de Julho que comprova a sua evolução em todas as frentes, com os 3ºs lugares obtidos na Finlândia, Austrália e França. Todos os pilotos do Campeonato do Mundo necessitaram de tempo para se sentirem confortáveis e serem capazes de demonstrar o seu potencial,»

reforça Meeke.

«Hoje, esta experiência começa a produzir os seus efeitos. Tenho uma melhor antecipação, a minha velocidade é mais natural e posso ser mais rápido sem correr tantos riscos como no passado.» 

Em Espanha, Meeke terá uma nova aprendizagem, já que mesmo que tendo estado à partida deste rali por seis vezes, não domina o actual percurso misto que descobriu em 2011: «As especiais de asfalto são bastante semelhantes às que já conheço. É verdade que ainda tenho que aprender os troços em terra, mas vou dar o meu melhor. Sabemos que será muito apertado na cabeça da corrida, mas temos de continuar a aproximar-nos do 1º lugar.» 
 
NOVO DESAFIO PARA MADS ØSTBERG  
Registando boas performances em pisos de terra, Mads Østberg tem demonstrado uma progressão no asfalto nas oportunidades que teve. Em Espanha, com um primeiro dia disputado no seu piso de eleição, a que se seguirá o asfalto, ele terá a oportunidade de assinar um bom resultado. «Aprendemos muito durante as rondas anteriores na Alemanha e França,» confirma o norueguês. «Cabe-nos beneficiar da experiência adquirida e da evolução adquirida com a equipa para continuar a seguir na direcção certa.» 
O piloto está ansioso pelo início deste rali atípico:

«Adoro as características das especiais de terra, tendo muito boas recordações, seja em seco ou em molhado. Espero estar, pelo menos, nos três primeiros no final da 1ª etapa. Em seguida será necessário adaptar-me o mais rapidamente possível aos automatismos do alcatrão. Durante a noite, tudo de volta à estaca zero para acordar o modo 'asfalto'. O segredo é saber usar os novos pneus Michelin e não os aquecer em demasia. Se tudo funcionar perfeitamente, seremos capazes de obter um bom resultado.»       

O REGRESSO DE KHALID AL QASSIMI 
Em luta pela obtenção de um segundo título de Campeão de Ralis do Médio Oriente, Khalid Al Qassimi regressa ao WRC neste Rali de Espanha. Presente com o Citroën Total Abu Dhabi World Rally Team na Suécia, Portugal e Itália, ele irá disputar o seu primeiro rali (parcialmente) em asfalto depois de ter feito o mesmo há um ano. «Adoro as características das especiais de asfalto do Rali de Espanha», confirma.

«Mas se as estradas estiverem molhadas, tal torna-se num outro desafio. Por seu turno, o percurso de 6ª Feira, em terra, não está entre os meus favoritos neste tipo de superfície. Levarei, talvez, um pouco mais de tempo a encontrar as minhas marcas.» 

Muito envolvido na vida da equipa, o piloto oriundo de Abu Dhabi também pretende apoiar os seus companheiros:

«Desejo o melhor para o Kris e o Mads. Espero vê-los a lutar pelas posições da frente e marcar o máximo de pontos.» 

A Abu Dhabi Racing estará, também, representada por Mohamed Al Mutawaa e Stephen McAuley, inscritos na categoria WRC3 com o DS3 R3. Esta antepenúltima prova da temporada permitirá, ainda, assistir à evolução dos DS3 R5 de Sébastien Chardonnet/Thibault De la Haye e de Stéphane Lefebvre/Thomas Dubois, ambos da categoria WRC2.  
 
DA TERRA AO ASFALTO 
Ao contrário do ano passado, as equipas irão disputar a secção de terra antes de abordar os dois dias em asfalto. Já em configuração de terra, os WRC disputam o shakedown por duas vezes na 5ª Feira, entre as 08h00 e as 09h30, num troço a cerca de três quilómetros do parque de assistência. 
Às 13h00, os WRC saem de Salou para uma primeira especial em asfalto nas ruas de Barcelona (3,2 km, com início às 18h08). Após terem percorrido 222 quilómetros, eles regressam ao parque fechado, ali entrando a partir das 20h08. 
O rali começará verdadeiramente na 6ª Feira de manhã com uma primeira ronda por três troços em terra: Gandesa (7,00 km, às 08h33), Pesells (26,59 km, às 14h19) e Terra Alta (35,68 km, às 10h01), este com uma mistura de duas superfícies. Após 30 minutos de paragem em Port Aventura (a partir das 12h06), os mesmos três troços repetem-se à tarde, às 13h54, 14h19 e 15h22, respectivamente. A partir das 17h22 as viaturas entram num um flexi-service de 75 minutos, durante o qual serão convertidas para o set-up de asfalto. 
No Sábado, a 2ª Etapa arranca com o troço de Tivissa (3,96 km, às 09h08) antes da longa classificativa de Escaladei (50 km, às 9h51), seguida de Colldejou (26,48 km, às 11h14). Após a pausa, repetem-se estes dois últimos troços (às 14h16 e 15h39, respectivamente), num dia que finalizará com a especial de Salou (2,24 km, às 17h07) corrida na cidade.            
O sprint final de Domingo integra duas rondas por dois troços: La Mussara (20,48 km, às 07h30 e 10h45), ao nascer do sol na primeira passagem, e, depois, Riudecanyes (15,55 km, às 08h20 e 12h08), classificativa que pontuará como Power Stage na segunda passagem. A chegada a Salou está agendada para as 13h16.  
Nota: horas locais, mais 1 hora do que em Portugal  
 
Press: Citroen
 

Kajetanowicz and Baran: challenging last part of the season

Categoria: Ralis Internacional
Publicado em 20 outubro 2014
Kajetan Kajetanowicz and Jarek Baran – LOTOS Rally Team crew and recent winners of FIA ERC Gravel Masters title, awarded for gravel performance in FIA European Rally Championship – will take part in two more tarmac rounds of the series. First of them is Rallye du Valais in Switzerland, round ten of FIA ERC calendar, which takes place on 23-25 October. For Kajetanowicz, unlike for many of his biggest opponents, it will be the first start in this event. Just like in previous rounds of FIA ERC, the Polish crew will drive Ford Fiesta R5 prepared and run by M-Sport Poland.
Before Rallye du Valais Kajetanowicz and Baran hold third place in FIA ERC standings. They scored 94 points in six outings – just 10 less than Sepp Wiegand who is second overall. LOTOS Rally Team crew are 29 points behind last year’s Rallye du Valais winner and current championship leader Esapekka Lappi. There are 78 points on offer in two final rounds of the season.
Rallye du Valais was organised for the first time in 1960 as a regional event aimed at promotion of the region and local wines. Twenty years later Rallye du Valais became part of the European Rally Championship calendar. Special stages run through roads of the canton of Valais in southwestern Switzerland. Second-to-last event in this year’s championship will start in Sion – capital city of region and the oldest city in Switzerland. Rally base, service park and ceremonial finish will be located in Martigny.
The route of 55th edition of Rallye International du Valais features almost 623 kilometres, including 260 kilometres of competitive distance, divided into 19 extremely demanding special stages. Most of them run in the same configuration as in previous years which makes the challenge even greater for Polish crew, tackling this event for the first time. Swiss counter of FIA European Rally Championship is famous for being tough for competitors and machines, not only because of high elevation of some stages, run at almost 2000 metres above sea level. The conditions on the stages are diverse. Tarmac has different levels of grip and uncertain weather in October further increases the challenge. Before the start of real competition, the crews taking part in FIA European Rally Championship will tackle the qualifying stage. This test is 3.3 kilometres long and begins on Thursday 23rd October at 9 in the morning. The fight for points will start on the same day at 3 in the afternoon, with the only new stage in the rally: Leukerbad (8.25 km).
Kajetan Kajetanowicz: –

At the beginning of this season we were happy to start the competition in FIA European Rally Championship, thinking about gaining experience in difficult and diverse rounds of this series. After many successful but tough outings we will face double challenge in Switzerland. On one hand we will tackle specific stages on which we have never had a chance to compete and many of our biggest opponents already know this event from previous years. On the other hand we know that we are still contenders in the fight for top positions in FIA ERC, although at the finish of every stage, while checking the times on the board, we will keep in mind that our colleagues have already competed on these roads. For sure my experience with changing conditions on mountain stages in Polish Rally Championship will help but I guess that the route in Switzerland can be a lot tougher. Weather in Alps is variable and unstable. Moreover, in October we can expect a lot of mud on the road and even ice and snow in shady sections high in the mountains. In these diverse conditions it will be very important to have clever and precise pace notes. Wise choice of tyres will also be crucial because they can offer different grip, depending on temperature. As always, all these things give me extra motivation. I don’t want this season to finish. I love competing in such rallies because each of them is completely different. To be honest, I love FIA European Rally Championship!

 
Press: Kajetan Kajetanowicz
 
 

Pág. 1 de 89

16 DE NOVEMBRO

 

 

X-ADVENTURE TOURS - UMA NOVA FORMA DE VISITAR CORUCHE.

X-ADVENTURE TOURS

Parceiros

lOGO_RALLYRAID_NET.jpglOGO_SOLYOM_TEAM.jpgLOGO_LP_RACING.jpgLOGO_X_ADVENTURE.jpglOGO_RISE_MEDIA.jpgLOGO_NUNO_MATOS.JPGLOGO_FEDIMA.jpgLOGO_OFFROAD_4X4.jpgLOGO_MAIS_TT.jpgLOGO_16_VALVULAS.jpglOGO_RALLYRAID_ES.jpgLOGO_NUNO_MATOS.jpgLOGO_TEREPRALI.jpg