Prevendo competitividade extrema, X Rally inicia o 25º Sertões de sua história

Prevendo competitividade extrema, X Rally inicia o 25º Sertões de sua história

 

Depois do maior Sertões de todos em 2022, com mais de sete mil quilômetros em 15 dias de disputas, o maior rali das Américas volta a seu formato tradicional de oito etapas mais prólogo em sua 31ª edição. A prova tem seu início nesta sexta-feira (11) e termina no próximo dia 19 percorrendo os estados de Pernambuco, Bahia e Ceará em 3,8 mil quilômetros e pouco mais de dois mil quilômetros de trechos cronometrados.

A equipe X Rally Team, dona de cinco títulos no principal rali do país, vai para seu 25º Sertões e espera um trajeto tecnicamente desafiador e uma prova de competitividade extrema pela qualidade do grid entre os carros.

Os irmãos Cristian e Marcos Baumgart trazem um novo carro, o Prodrive Hunter T1+ (ficha técnica ao final do texto) em substituição ao Toyota Hilux IMA T1 FIA do ano passado. Depois da estreia no México, em etapa do Mundial, os irmãos fizeram a dobradinha no Rally Jalapão, no final de junho, quando Marcos Baumgart e Kleber Cincea venceram a prova à frente de Cristian Baumgart e Beco Andreotti.

“O Sertões volta ao seu tamanho ‘normal’ depois de um trajeto extremamente longo no ano passado. Mas isso não quer dizer que vai ser fácil. Estamos prevendo um percurso tecnicamente difícil, que vai colocar os carros e as duplas à prova em praticamente todos os dias”, afirmou Beco Andreotti, navegador e CEO da X Rally.

Além do trajeto, a competitividade deve ser marca desta edição, de acordo com o navegador Kleber Cincea. “Só na nossa equipe temos 11 carros, cinco deles sendo T1+, os mais rápidos do rali. Outros times também vão competir na categoria e estão preparados. Por isso, tenho certeza de que a disputa será muito apertada. Um prato cheio para o fã de rali, porque ninguém tem vantagem e a tensão só vai passar ao final da prova”, disse Kleber.

Cristian Baumgart e Beco Andreotti, e Marcos Baumgart e Kleber Cincea formam duas das duplas mais longevas da história do rali mundial. Com quatro título do Sertões, Cristian e Beco são o único duo com quatro títulos do Sertões (2016, 2017, 2018 e 2021). A dupla compete junta há 22 anos. Marcos e Kleber venceram o Sertões de 2020, são tetracampeões do Rally Jalapão e tricampeões Brasileiros de rali, e ocupam o mesmo cockpit há 17 anos.

“A expectativa é alta. Temos dois novos carros na equipe, seguimos com nossos grandes parceiros de sempre, que nos ajudam a obter uma performance alta. Não existe facilidade no Sertões. Seja com 15 dias, como foi no ano passado, seja com oito etapas, como vai ser neste, é sempre um rali muito difícil e que desafia pilotos, navegadores e máquinas ao extremo. Trabalhamos muito neste último ano, por isso o nosso objetivo é a vitória para a equipe”, afirmou o tetracampeão Cristian Baumgart.

Com 11 carros na equipe, a X Rally traz um verdadeiro esquadrão de 120 pessoas entre mecânicos, engenheiros, motoristas, cozinheiros e outros profissionais: “Somos um time de pessoas dedicadas, unidas em torno de um objetivo, e que vem de um entrosamento de bastante tempo. Será nosso 25º Sertões, sempre cercado de grandes expectativas. Já tivemos o gostinho de correr com o nosso carro novo, fizemos toda a adaptação, e por todo o time vamos trabalhar sempre com foco na vitória. Claro que Sertões é único, tem várias armadilhas, mas com a união de todos, buscamos superar os obstáculos do trajeto”, resume Marcos Baumgart.

Além das duplas formadas por Cristian Baumgart/Beco Andreotti e Marcos Baumgart/Kleber Cincea, a X Rally alinha mais nove carros. Pela classe T1+, Sylvio de Barros/Ramon Sacilotti, Mauro Guedes/Edu Bampi e Fefo Rosset/Marcelo Haseyama disputam a prova a bordo de modelos Toyota Hilux Overdrive T1+. Os carros da categoria têm maior curso de amortecedor, pneus maiores (37 polegadas, contra 32 dos T1) e alguns modelos são dotados de motores V6 turbinados.

Pela classe T1 FIA, a equipe paulista terá as duplas formadas por Dan Nacif/Fred Budtikevitz e Gunter Hinkelmann/Fabrício Bianchini; na T1 (antiga T1 Brasil) correm Pedro Prado/Josi Koerich, José Silmar/Alyson Antunes, Rodrigo Aché/Felipe Eckel e Luís Carlos Nacif/Erick Silveira. Em ambas as classes, as duplas alinham os X Rally Ranger construídos pela equipe.

 

Comunicado Oficial

Related Articles

We use cookies

We use cookies on our website. Some of them are essential for the operation of the site, while others help us to improve this site and the user experience (tracking cookies). You can decide for yourself whether you want to allow cookies or not. Please note that if you reject them, you may not be able to use all the functionalities of the site.